I CONGRESSO DE INSTITUTOS HISTÓRICOS E GEOGRÁFICOS DO BRASIL, REALIZADO EM BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS, NO PERÍODO DE 8 A 11 DE OUTUBRO DE 2007.

CARTA DE BELO HORIZONTE


Considerações preliminares

Os Institutos Históricos e Geográficos Brasileiros são organizações civis que, a partir da criação da célula mater — o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), fundado em 1838 —, cuidam da preservação da memória nacional. Uma nação sem história é uma nação sem futuro.
A memória soterrada sob os escombros do esquecimento leva a nação a perder as lições de sua experiência e, seus dirigentes, a referência básica da evolução do povo e do progresso nacional.
A experiência histórica, cientificamente resgatada, registra acertos, bem como descaminhos que conduziram nações a tantos desastres no passado. Desta forma, torna-se, pois, referência básica às novas gerações de governantes e revela aos dirigentes as virtudes dos homens que conduziram seus povos ao progresso de sua humanização.
Segundo Hegel, o esquecimento da memória é uma sentença irrecorrível. Presentificar, pois, as torrentes históricas do passado e seus efeitos no estuário da agoridade é torná-las plataforma de lançamento de futuros.
Os membros de Institutos Históricos e Geográficos do Brasil, abaixo identificados e assinados, reunidos na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, alicerçados nos pressupostos contidos nas Considerações Preliminares, e considerando
a) a importância dos Institutos Históricos e Geográficos do País no resgate e na preservação da memória local, regional e nacional;
b) a premente necessidade de apoio dos órgãos oficiais para o cumprimento das finalidades e objetivos específicos;
c) as dificuldades impostas pela falta de identificação de canais competentes no âmbito do Governo, para o necessário e produtivo diálogo;
d) a insuficiência dos recursos arrecadados junto aos associados e a ausência do poder público, sobretudo com dotações orçamentárias, de forma a garantir a sobrevivência dessas Instituições;
e) o ambiente de carências predominante nessas Instituições que, apesar de tudo, se constituem em baluartes da preservação da cultura e da memória nacional, quer pela produção intelectual de seus associados, quer pelos centros de documentação histórico-geográfica remanescentes, quer, ainda, por meio de reuniões, seminários, cursos e publicações diversas,

reconhecem a necessidade imperiosa de criação de um Fórum Permanente de Dirigentes e Associados dos Institutos Históricos e Geográficos do País, para atuar como mecanismo de integração dos esforços e ações dos institutos municipais, regionais e estaduais, bem como para obter apoio e recursos orçamentários, sem os quais, a curto prazo, corre-se o risco de colapso da memória histórico-geográfica e cultural da nação brasileira. Belo Horizonte, 11 de outubro de 2007.

Nomes: ....................................Assinaturas:....................